As retóricas económicas da saída da crise
Novo e-WP por Fernando Ampudia de Haro

 

 

As retóricas económicas da saída da crise

 

Fernando Ampudia de Haro

 

Resumo:

O objetivo do presente trabalho é realizar uma análise crítica dos modelos retóricos utilizados por diferentes autores (economistas, jornalistas económicos e analistas da atualidade político-económica) nas suas propostas para solucionar os problemas derivados da crise económica em Portugal. A principal referência teórica é a obra de Albert O. Hirschman, The Rhetoric of Reaction (A Retórica da Intransigência), da qual são retiradas três teses que constituem a grelha conceptual para a análise: reconstrução radical, sinergia e dinâmica favorável da história. O texto parte de uma reflexão global sobre a vertente cultural da ideia de crise, para posteriormente analisar as modalidades retórico-argumentativas utilizadas por um grupo específico de autores (João Ferreira do Amaral, Pedro Adão e Silva, Ricardo Paes Mamede, José Gomes Ferreira e Camilo Lourenço) nas medidas que oferecem para tirar Portugal da crise económico-financeira.
Finalmente, é efetuada uma reflexão crítica sobre as retóricas argumentativas expostas, dando uma especial atenção à visão que transmitem sobre a mudança social e a ação humana.


Documento completo aqui.

 


 

 

Sobre o autor:

Fernando Ampudia de Haro é professor auxiliar na Universidade Europeia e investigador integrado no CIES-IUL. Licenciado e doutorado em Sociologia pela Universidade Complutense de Madrid. Mestre em Economia Social e Solidária pelo ISCTE-IUL. Tem publicado trabalhos nas áreas da sociologia histórica, sociologia política, sociologia das emoções, sociologia da cultura e sociologia económica. Interesses de investigação: processos civilizacionais (mudança social e cultural; valores e mentalidade); governamentalidade e racionalidades político-económicas.
ISCTE FCT Portugal
W3C