Arte e Política: novos horizontes de cidadania
Resumo

Os elementos centrais desta pesquisa retroalimentam-se: as práticas artístico-culturais dos jovens de áreas socialmente precarizadas, os seus engajamentos cívicos e as políticas públicas a eles dirigidas. Embora essa juventude continue a ser problematizada no campo do desvio, a crescente importância das suas produções artísticas confere-lhe uma nova visibilidade, capaz de reposicioná-la nas disputas pelos contornos da sociedade em que vivem. Tais conexões não são ignoradas pelo Estado. Pelo contrário, as expressões artísticas e a participação política dessa juventude transformaram-se em objeto de intervenção prioritária das instituições públicas (e privadas), sendo enquadradas para efeitos de “inclusão”. Para analisar esse processo, farei uma etnografia em três bairros “periféricos” de Lisboa, todos palcos do Programa Escolhas e de Projetos de Arte Urbana. Pretendo aferir até que ponto essas políticas são capazes de promover a atuação político-cidadã, indagando-me sobre as potencialidades da “economia da cultura” para transpor os processos de segregação, estigmatização e violência com vista a construção de sociedades mais inclusivas.

Date de Início
2018-11-01
Date de Fim
2024-10-31
Informação transferida do Ciência-IUL
ISCTE FCT Portugal
W3C