Remessas de Imigrantes em Portugal
Resumo

Em Portugal, o estudo das remessas tem tido tradicionalmente como objecto as transferências dos emigrados portugueses para o País. O facto de o conjunto dessas remessas ser, em média, superior ao valor das transferências dos fundos comunitários, explicará aquele centramento. No entanto, e embora Portugal continue a ser, em termos líquidos, um país recebedor de remessas (segundo os dados do Banco de Portugal), o crescimento da imigração tem já tradução no crescimento das transferências financeiras para os países de origem dos estrangeiros residentes no nosso país. Acresce que, segundo declarações de dirigentes de associações de imigrantes, é provável serem aquelas remessas maiores do que o registado por serem eventualmente muito utilizados canais informais para a sua transferência. Justifica-se, pois, a produção de um conhecimento mais sistematizado dos dados registados e a realização de uma primeira aproximação ao volume e estrutura das remessas que circulam em canais informais.
O primeiro objectivo será medir e caracterizar as origens e evolução das remessas dos imigrantes a residir em Portugal, comparando-as com as que os portugueses emigrados enviam para o País. O segundo objectivo será identificar e avaliar os processos de transferências de remessas por canais informais, que escapam ao registo das autoridades financeiras, bem como modalidades colectivas de colecta e envio organizado de remessas para fins específicos na origem.

Date de Início
2007-02-21
Date de Fim
2008-12-21
Parceiros Externos
Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural, I.P
Informação transferida do Ciência-IUL
ISCTE FCT Portugal
W3C