A maternidade naturalizada como nova conceção de cidadania: adesão e controvérsia em Portugal e Espanha
Resumo

Num contexto onde o número de filhos por casal é cada vez menor e onde os nascimentos ocorrem em idades mais avançadas dos pais e mães, a decisão de ter um filho parece estar sujeita a maiores exigências e pressões sociais. Toda a cultura está dominada por um ideal de maternidade que vai variando segundo as épocas. Segundo Badinter (2010), à medida que os valores naturalistas vão renovando protagonismo na sociedade contemporânea, mais exigente e complexa se vai tornando a experiência materna. Este projecto pretende contribuir para a problematização do fenómeno de "neotradicionalismo" associado à experiência de ser mãe (Stone, 2007). Adotando uma metodologia plural, a pesquisa incidirá sobre os contextos de Portugal e Espanha para perceber que fatores macroestruturais promovem a adesão ao modelo de maternidade natural e quais os efeitos deste fenómeno sobre as relações de género ao nível social e das relações interpessoais.

Date de Início
2014-01-06
Date de Fim
2017-05-31
Parceiros Externos
CIES-IUL - Centro de Investigação e Estudos de Sociologia
Informação transferida do Ciência-IUL
ISCTE FCT
W3C