O carnismo na cultura mediática portuguesa
Resumo

Carnismo é um termo definido por Joy (2010), como um invisível sistema de crenças que regulamenta que consumidores/as consumam determinados animais e criem laços afetivos com outros (eg. ato de comer porcos mas cuidar de cães). Enquanto massivamente produzido e interiorizado, o carnismo tem implicações diretas nas perceções humanas em relação aos animais não humanos explorados; surge como neutro, aparentemente “natural” e indispensável. É, também, uma ideologia organizada em torno da produção intensiva e extensiva dos designados animais para consumo que, à semelhança de outras ideologias necessita de mitificar, esconder, ocultar, disfarçar, e amenizar os seus nefastos impactos de forma a garantir a adesão dos/as consumidores/as. É, precisamente, o sistema cultural carnista, integrado no contexto português, que este trabalho pretende analisar: as representações mediáticas dos animais para consumo, circunscritas a um marco temporal entre 2014-2015: na publicidade, cinema, materiais publicados (jornais, revistas, livros infantis) e sistema linguístico.

Date de Início
2014-01-01
Date de Fim
2019-12-31
Parceiros Externos
CIES-IUL - Centro de Investigação e Estudos de Sociologia
Informação transferida do Ciência-IUL
ISCTE FCT
W3C