Políticas de ensino da língua portuguesa para imigrantes adultos em Portugal com pouca ou nenhuma escolarização: institucionalização e desafios
Resumo

O objectivo geral do projeto é justamente contribuir para a definição de estratégias de aprendizagem adequadas aos adultos imigrantes com pouca ou nenhuma escolaridade, em diferentes contextos de aprendizagem da língua portuguesa enquanto língua não materna, no intuito de incluir este grupo específico nos programas de aprendizagem em curso.

Pretendeu-se, primeiro, traçar uma caracterização da população nacional de países terceiros a frequentar os diversos contextos formativos de ensino de português língua não materna existentes na oferta educativa e institucional a nível nacional, procurando identificar as características sociodemográficas do subgrupo que é objecto central deste estudo. Esta dupla caracterização, que constituiu um primeiro patamar no plano de trabalhos, possibilitou identificar os grupos mais vulneráveis dentro de um grupo já de si com necessidade específicas a nível de competências linguísticas e dificuldades no acesso à formação, bem como revelar a sua importância no seio da população de origem imigrante.

Num segundo momento, investigamos como a alfabetização de imigrantes/estrangeiros em Portugal tem sido tida em conta ao nível das políticas de integração destinada à população imigrante, seja em termos de inserção socioprofissional, de oportunidades educativas, processos de naturalização ou de participação cidadã. Dentro das políticas existentes focamos no enquadramento do processo de aprendizagem da língua portuguesa enquanto língua não materna no seio das políticas de integração, revisando os recursos existentes para este fim -- materiais diversos, recursos humanos, espaços disponíveis, redes de trabalho implicadas.

Num terceiro momento, levamos a cabo o aprofundamento destes contextos e do perfil dos indivíduos, através dum trabalho de etnográfica de sala de aulas e etnografia linguística em contextos diferentes de formação na Grande Lisboa.

Da combinação destes três momentos de investigação elaboramos um diagnóstico das políticas e metodologias educativas no respeitante aos nacionais de países terceiros com baixas competências em literacia em qualquer língua, a frequentar as várias ofertas formativas no âmbito do português língua não materna. Levamos a cabo esta tarefa caracterizando e avaliando a adequação das práticas educacionais no contexto formativo e na sala de aula em particular, prestando particular atenção à adequação dos programas e à interação estabelecida entre professores/formadores e alunos. 

Finalmente, em termos metodológicos foi nossa intenção deslocar o foco de uma abordagem psicossocial da aprendizagem duma língua não materna dando maior peso às dimensões sociais e antropológicas da aprendizagem da língua. Para tal mostram-se fundamentais considerações da sociolinguística, que desde os anos 70 do século XX têm dedicado uma particular atenção a este tipo de aprendizagem. A opção por uma abordagem mais interdisciplinar justifica-se pela necessidade de contemplar, em processos de aprendizagem de língua não materna para adultos, questões associadas à construção da identidade de populações com origens nacionais, linguísticas e culturais muito distintas, e por vezes mesmo ao nível social.

Date de Início
2014-01-01
Date de Fim
2016-12-31
Informação transferida do Ciência-IUL
ISCTE FCT Portugal
W3C